TAMIS e Videolaparoscopia para Tratamento de Tumores Colorretais Sincrônicos

01/12/2016

 

A cirurgia videolaparoscópica apresenta muitas vantagens sobre a cirurgia aberta (via laparotomia): recuperação mais rápida, menores incisões abdominais e menos dor após a cirurgia.

Recentemente, técnicas de acesso por vídeo ao reto, como o TAMIS (uma sigla que, em tradução livre, significa “Microcirurgia Endoscópica Transanal”), têm permitido a remoção de tumores superficiais localizados no reto ou até nos segmentos finais do cólon sigmoide.

Este vídeo apresenta o caso de uma paciente idosa, portadora de dois tumores sincrônicos: um avançado em cólon sigmoide e outro, volumoso porém em estágio inicial, localizado em reto médio.

O procedimento padrão a ser adotado seria a remoção de todo o reto juntamente com o cólon sigmoide, com confecção de um estoma.

Por se tratar de uma paciente portadora de vários problemas de saúde graves e que não aceitava um estoma e considerando que a lesão do reto aparentava não invadir as camadas profundas do órgão, optamos – em comum acordo com a paciente e seus familiares – por combinar dois procedimentos no mesmo tempo.

Num primeiro momento, foi removido o tumor do reto por TAMIS. Devido ao tamanho da lesão e por ela ter localização extraperitoneal, ou seja, dentro da pelve e fora do abdome, optamos por deixar o leito da ressecção aberto.

Em seguida, foi realizada uma retossigmoidectomia videolaparoscópica de padrão oncológico, por acesso medial, sendo o reto superior grampeado acima do leito da ressecção da primeira lesão.

Foi então realizada uma anastomose término-terminal por duplo grampeamento e, por fim, foi feita a visualização endoscópica da anastomose e do leito da lesão para revisão final.

A paciente teve excelente evolução clínica e a peça cirúrgica demonstrou a adequação das ressecções do ponto de vista oncológico.