Doença Hemorroidária: Tratamento Clínico e Ligadura Elástica

24/11/2016

O tratamento da DH deve ser direcionado para os sintomas e para as suas características de acordo com o exame físico, que é feito no consultório.

O tratamento clínico deve ser sempre tentado, e trará bons resultados para boa parte dos pacientes. Medicamentos para circulação, também utilizados no tratamentos de varizes nos membros inferiores, auxiliam bastante e são muito utilizados também nas crises. A dieta deve ser ajustada, com ênfase numa dieta rica em fibras vegetais e líquidos, de modo a facilitar a defecação e melhorar a consistência das fezes. A higiene deve ser orientada de modo a evitar o uso de papel higiênico. Suplementação de fibras e eventuamente medicações laxtivas podem ser associadas. O papel dos condimentos e de pimentas é controverso, seu uso deve ser evitado naqueles pacientes que percebem piora de seus sintomas com o seu consumo, mas não sistematicamente para todos os casos.

Dentre as modalidades de tratamento ambulatorial, ou seja, realizados no consultório, destacamos a ligadura elástica. Outras modalidades, como aplicação de radiação infra-vermelha, escleroterapia (aplicação de medicamentos para cicatrizar as hemorróidas) e crioterapia (uso de baixas temperaturas) foram e ainda são utilizadas, mas estão em desuso.

Tratamento Hemorróida

A ligadura elástica consiste na aplicação de pequenas ligas de borracha na base das hemorroidas internas, de modo similar ao que se utiliza para “amarrar” o umbigo dos recém-nascidos. Elas promovem a necrose do tecido, que cai. No lugar, formar-se-á uma úlcera e, posteriormente, uma cicatriz. Esta cicatriz fixa as hemorróidas que haviam se exteriorizado em sua posição original. Preferimos a realização de uma ligadura de cada vez, a começar pelos maiores mamilos internos, em sessões com intervalos de um mês. O número de sessões é variável de acordo com cada paciente. Em geral, o tratamento é interrompido caso não surta efeito (nesse caso, é indicada cirurgia) ou caso o paciente deixe de apresentar sintomas. Casos mais avançados costumam ser tratados cirurgicamente.